sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Com apoio de europeus, Platini decide seguir firme em eleição da Fifa

Com candidatura homologada horas antes de ser suspenso pelo Comitê de Ética da Fifa por 90 dias, Michel Platini tem respaldo das federações europeias para seguir firme na eleição presidencial da entidade mundial. De acordo com o jornal "Mundo Deportivo", o francês recebeu o apoio dos membros do Comitê Executivo da Uefa e de membros dos 54 países associados em uma reunião na manhã desta quinta-feira, em Nyon.

Participando do encontro sem função oficial - uma vez que está afastado do cargo de presidente da Uefa e de qualquer atividade relacionado ao futebol -, Platini teria explicado mais uma vez o recebimento de 2 milhões de francos suíços de Joseph Blatter, que gerou uma investigação da Justiça suíça e a punição do Comitê de Ética. O ex-jogador afirma que o depósito, feito em 2011, seria por um trabalho de consultor realizado entre janeiro de 1999 e junho de 2002, explicação considerada satisfatória pelos colegas de Uefa.

O grande obstáculo à aspiração de Platini, porém, seria o impedimento de realizar campanha eleitoral e buscar votos em outros continentes. Até a segunda semana de janeiro, o francês não poderia trabalhar sua candidatura - isso na melhor das hipóteses, uma vez que o Comitê de Ética da Fifa deixou em aberto a possibilidade de estender a suspensão por mais um mês e meio, o que o deixaria com apenas dois dias de campanha eleitoral antes do pleito, marcado para 26 de fevereiro.

Considerado o favorito à sucessão de Blatter antes da suspensão, Platini concorrerá ao cargo com o príncipe jordaniano Ali Bin Al-Hussein, que oficializou sua candidatura nesta quinta-feira. Há, ainda, outros pré-candidatos como os ex-jogadores Zico e David Nakhid e o presidente da federação da Libéria, Musa Bility.

Fonte:Globo Esporte

0 comentários:

Postar um comentário