sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Resenha do álbum Higher (banda Higher)

Hoje vamos falar dessa banda muito interessante que migrou de estio, mas não de qualidade.Quando músicos competentes se reúnem podemos apostar em boa qualidade musical e o que vamos encontrar no álbum dos caras.



Muitos afirmam que a primeira impressão é a que fica, pois bem, ao me deparar com o caprichado trabalho gráfico do álbum já criei uma grande expectativa sobre o som que iria escutar, o trabalho feito com a luz nas fotografias e na edição de capa, contracapa deixaram um visual harmonioso e super convidativo.

O que podemos perceber ao ouvir a primeira faixa intitulada "Lie" é que não estamos mais em frente a músicos de Jazz. Lie uma faixa pesada e direta com um trabalho de fundo muito bem feito pelo baixo de Andrés Zúñiga. Illusion é muito bonita, com coros incríveis, vocal impecável e um solo surpreendente.

Na sequencia temos Keep me High que é outra faixa de peso da banda com uma bateria muito bem marcada e solos harmoniosos. Passamos então Climb the Hill que assim como a faixa que vem a seguir, Like the wind, encontramos variações rítmicas muito boas que não deixam a faixa cansativa e um refrão bem longo. Então encontramos a balada do álbum, Break the Wall que é simplesmente linda, de um bom gosto extremo, combinando tanto com sua antecessora como com a próxima que é a pesada e muito empolgante Time to chance.

Make it worth é uma faixa cheia de variações rítmicas que foram feitas anteriormente e novamente vem com muita competência, é vibrante e deve ser uma faixa muito empolgante ao vivo. The sign é a última faixa do álbum com um solo maravilhoso e uma velocidade ótima, fechando um ótimo álbum de forma muito interessante.

Finalizando posso afirmar para vocês que esse debut vai abrir caminho a muita coisa boa.

Recomendadíssimo!


1 comentários:

Postar um comentário