segunda-feira, 17 de agosto de 2015

David Gilmour decreta o fim do Pink Floyd

Para o bem de sua própria mente, os fãs do Pink Floyd devem parar de alimentar a esperança de ver a banda reunida. Em entrevista ao site Classic Rock, David Gilmour decretou o fim da banda.

“Para mim, a banda já era. Passei 48 anos no Pink Floyd – alguns desses anos com o Roger, lá no início. E esses anos, que hoje em dia são considerados nosso apogeu, foram 95% satisfatórios em termos musicais, alegres e cheios de diversão e risadas. Obviamente, eu não quero deixar que os outros 5% mudem minha opinião sobre o que foi um longo e fantástico tempo juntos. Mas o tempo passou, as coisas seguiram seu rumo, nós encerramos atividades. Seria uma baita falsidade voltar e fazer tudo de novo, ainda mais sem Rick (Wright), seria um erro”, disse.



Gilmour também deu a entender que não enxerga problemas com o fato de Roger Waters celebrar o material da banda. “Penso que Roger deve fazer o que quiser e se divertir, estou tranquilo quanto a isto. Mas absolutamente não quero voltar, não tenho mais vontade de tocar em estádios sob o nome Pink Floyd. Hoje sou livre para fazer as coisas do meu jeito, conforme minha vontade”

Ainda na conversa, o músico usou de certa modéstia para explicar como categoriza o Pink Floyd no panteão sagrado da música. “Claro, sei que que algumas pessoas querem ouvir essa lenda que foi o Pink Floyd, mas eu sinto muito, não é minha responsabilidade. Para mim, são apenas duas palavras que sintetizam o que quatro pessoas fizeram juntas. É apenas uma banda pop. Eu não preciso mais disso”, finalizou.

A última reunião oficial do Pink Floyd aconteceu em julho de 2005, durante o evento beneficente Live 8. A banda tocou no Hyde Park, em Londres, com a formação clássica pela primeira vez desde 1981.

Fonte:Cifra Club

0 comentários:

Postar um comentário