terça-feira, 21 de abril de 2015

Empresário tailandês pode fechar compra do Milan nesta semana

Nesta segunda-feira o empresário tailandês Bee Taechaubol, candidato a comprar o Milan, respondeu aos torcedores do clube em relação aos protestos no começo do mês para salvar a equipe da grave crise financeira que vive. Segundo o jornal "La Repubblica", o bilionário fecharia o negócio no próximo final de semana.

Bee Taechaubol pretende se tornar sócio majoritário do Milan até o final da semana (Foto: Reprodução / Facebook oficial)


- No domingo eu irei a Milão para fechar o negócio – revelou o empresário.

As negociações entre Bee e Silvio Berlusconi, mandatário do Milan, começaram no ano passado. O tailandês inicialmente deve comprar cerca de 20% das ações rossoneras. O contrato teria uma cláusula que dá a Bee o direito de adquirir outros 45%, nos próximos 12 meses, chegando a um investimento de R$ 2,5 bilhões. Assim o tailandês se tornaria presidente do clube.

O Milan não vive a melhor fase de sua história. O clube italiano ocupa atualmente a nona posição no Campeonato Italiano. O clássico deste final de semana contra o Inter de Milão marcou o 13º empate da equipe rossonerra na competição nacional. O jogo terminou em 0 a 0, graças a boa atuação do goleiro Diego López. No começo do mês houve protestos da torcida pedindo para “salvar o Milan”. Antes do Derby della Madonnina o empresário fez uma postagem no twitter direcionada à torcida do Milan.

- Eu desejo o melhor para o presidente, toda a família Berlusconi e os diretores do Milan. Mas acima de tudo eu torço pelo clube. Vou assistir ao clássico pela televisão aqui de Bangkok e serei o fã mais devoto que existe. Força Milan! - disse.

Milan ocupa apenas a 9ª posição do Campeonato Italiano e vem de dois empates (Foto: GIUSEPPE CACACE / AFP)

Caso se torne sócio majoritário, Bee pretende fazer algumas mudanças no clube. Entre elas a contratação de craques. Nos últimos tempos o Milan teve que se desfazer de seus principais jogadores, como Ibrahimovic e Thiago Silva, para poder se manter financeiramente. Outro desejo do tailandês é mudar o comando técnico. Mihajlovic, atualmente treinando o Sampdoria e Klopp, que acabou de deixar o Borussia Dortmund, são os nomes mais cotados. Em relação à atual diretoria não haveriam mudanças. Adriano Galliani, vice-presidente, e Bárbara Berlusconi, filha do atual presidente e diretora de finanças, devem seguir em seus cargos.

Na próxima rodada o Milan enfrenta o Udinese, fora de casa e espera quebrar a sequência de dois empates seguidos para tentar conquistar uma vaga na próxima Liga Europa. Em nono, os rubro-negros precisam tirar uma diferença de sete pontos em relação ao Sampdoria, quinto colocado para garantir uma vaga na competição europeia.

Fonte:Globo Esporte

0 comentários:

Postar um comentário